Citroën termina temporada do WTCC com pontuação recorde

No Catar, os quatro pilotos da marca lideraram a última etapa da temporada 2015 e registram feito inédito

Campeonato Mundial de Carros de Turismo (WTCC)

 

PARIS [ ABN NEWS ] — Uma temporada de recordes para a Citroën no Campeonato Mundial de Carros de Turismo (WTCC). Na última etapa da temporada de 2015, realizada no autódromo de Losail, no Catar, o campeão antecipado José María López venceu a primeira corrida da programação, enquanto Yvan Muller venceu a segunda e, por apenas um ponto, levou a melhor sobre Sébastien Loeb na disputa pelo vice-campeonato. O chinês Ma Qing Hua terminou o campeonato em quarto, dando à Citroën o feito inédito de colocar quatro pilotos nos quatro primeiros lugares. No campeonato de marcas, a Citroën já havia conquistado o título quando faltavam três etapas para o final – e terminou a temporada com pontuação recorde.

O sol estava quase se pondo quando a última sessão de classificação foi iniciada à tarde. Os Citroën C-Elysée WTCC iniciaram da mesma maneira que haviam terminado os treinos livres e tiveram um treino sem sustos. Yvan Muller, que não estava contente com a dirigibilidade de seu carro, optou por não lutar por um lugar no Q3. Em vez disso, com o oitavo tempo, logo à frente de Ma Qing Hua, o francês assegurou uma boa posição para o grid de largada da corrida 2. Mehdi Bennani, com o quinto Citroën C-Elysée WTCC (inscrito pela Sébastien Loeb Racing), estabeleceu o primeiro tempo com 2:01.311. Sébastien Loeb, Nick Catsburg e Hugo Valente tentaram, mas não conseguiram superar o tempo do marroquino. Mas, novamente, José María López mostrou sua excelente forma. Com o tempo de 2:00.947, o argentino conquistou sua sétima pole position da temporada, igualando o recorde que ele mesmo havia estabelecido em 2014.

Já de noite, às 21h30, os carros alinharam para a corrida 1. Quando as luzes vermelhas se apagaram, José María López manteve a liderança, seguido muito de perto por Mehdi Bennani, Sébastien Loeb, Hugo Valente, Ma Qing Hua e Yvan Muller. Valente levou a melhor sobre Loeb na volta 2. As batalhas entre Valente e Loeb e entre Ma e Muller duraram toda a corrida, mas não houve ultrapassagens para adicionar mais emoções ao espetáculo. E Pechito López marchou para sua décima vitória no ano.

Após um curto intervalo, os carros alinharam no grid para a corrida 2. Tendo se classificado na primeira fila, Tom Coronel largou dos boxes, deixando o caminho livre para Ma Qing Hua. Mas foi Yvan Muller quem tirou vantagem da situação, chegando à primeira curva em segundo lugar, logo atrás de John Filippi. O safety car foi acionado no final da primeira volta após uma colisão que tirou dois carros da corrida. Atingido por outro carro nas primeiras curvas, López caiu para o 12º lugar.

Após quatro voltas, a corrida recomeçou e Yvan Muller rapidamente começou a pressionar o líder. Uma volta mais tarde, o piloto do Citroën C-Elysée número 68 tentou aproveitar um espaço aberto, mas Filippi voltou para seu traçado e os dois carros colidiram. Yvan saiu da curva 1 na liderança, poucos segundos antes de Filippi ser avisado de que precisaria cumprir um drive through por ter queimado a largada.

Volta após volta, Yvan Muller ampliou sua liderança sobre Ma Qing Hua, que por sua vez mantinha o segundo lugar com certa tranquilidade. As atenções se voltaram para a disputa pelo terceiro posto. Norbert Michelisz segurava Sébastien Loeb, que precisava terminar no pódio para manter sua posição de vice-campeão. Mas, também aqui, não houve mudanças na ordem da corrida até a bandeira quadriculada, com Yvan Muller assegurando sua sexta vitória no ano. Mais atrás, entretanto, José María López fez algumas belas ultrapassagens para subir até o oitavo lugar.

No final, Sébastien Loeb foi homenageado por toda a equipe Citroën Racing, que demonstrou sua afeição e gratidão ao francês, nove vezes campeão mundial de rali, com um longo aplauso. Yves Matton, chefe da Citroën Racing: “Com 21 vitórias em 24 corridas, o Campeonato Mundial de Fabricantes e os quatro primeiros lugares no campeonato de pilotos, a equipe Citroën Total WTCC teve uma temporada excepcional. Ao vencer as corridas daqui com os títulos já decididos, José María López e Yvan Muller relembraram a todos por que eles são os melhores pilotos da competição atualmente. Toda a equipe ficou terrivelmente triste quando se deu conta de que esta seria a última corrida de Sébastien Loeb conosco. Um grande capítulo na história do esporte a motor acabou hoje. Vamos sempre ter muitas boas lembranças com Sébastien”.

José María López: “Foi um final de semana fantástico. O carro desempenhou bem desde o começo e continuamos trabalhando para deixá-lo ainda mais rápido. A dirigibilidade do meu Citroën C-Elysée WTCC foi perfeita. Tudo o que precisei fazer foi mantê-lo na pista. Foi perfeito terminar com uma vitória, mas estou um pouco triste que a temporada tenha terminado e que vou ter que esperar tanto pelo início da próxima! Mais uma vez, eu gostaria de agradecer à equipe por todo o trabalho que foi feito nos últimos dois anos, e quero desejar a Sébastien o melhor para o restante de sua carreira. Foi uma honra estar na mesma equipe que ele. Vou sentir sua falta”.

Yvan Muller: “Meu objeetivo era vencer uma das duas corridas e estou feliz por ter conseguido. Meus engenheiros e mecânicos tiveram dois dias difíceis porque eu não estava satisfeito com o acerto do carro. Mas trabalhamos, conseguimos melhorá-lo e atingimos um bom nível de desempenho nas corridas. Na verdade, eu fui mais rápido do que no treino classificatório! Como Pechito, quero agradecer a toda a equipe, mas também a meus companheiros. Chegamos a este nível porque todos os quatro pilotos trabalharam de mãos dadas. Obrigado a eles e particularmente a Seb, a quem desejo o melhor no futuro”.

Ma Qing Hua: “Agradeço à equipe Citroën Total por me dar a oportunidade de competir em minha primeira temporada completa no WTCC. Trabalhei com três pilotos ‘top class’ e foi uma honra aprender com eles. Os pontos que marquei hoje significam que consegui o quarto lugar no campeonato mundial e estou orgulhoso por contribuir com o resultado da Citroën”.

Sébastien Loeb: “Eu queria manter o segundo lugar no campeonato, mas sabia que seria difícil e que Ivan daria tudo para terminar melhor do que eu. Mesmo tendo sido superado por apenas um ponto, não tenho o que lamentar. Acho que fui bem hoje, tanto nos treinos quanto nas corridas. Vou sempre ter boas lembranças dos meus dois anos no WTCC. Agradeço à Citroën por isso e por tudo o que fizemos juntos nos últimos 15 anos. Eu estava realmente emocionado por estar com a equipe pela última vez hoje, mas estou olhando para o futuro e os desafios que tenho pela frente são emocionantes. Ainda existem algumas coisas que quero fazer antes de parar!”.

Campeonato Mundial de Carros de Turismo (WTCC)
12ª etapa – Losail (Catar) – 20 a 22 de novembro

Treino classificatório
1. José María López (Citroën C-Elysée WTCC)
2. Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)
3. Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
4. Hugo Valente (Chevrolet RML Cruze TC1)
5. Nick Catsburg (Lada Vesta WTCC)
6. Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)
7. Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)
8. Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)

Corrida 1
1. José María López (Citroën C-Elysée WTCC)
2. Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)
3. Hugo Valente (Chevrolet RML Cruze TC1)
4. Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
5. Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)
6. Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)
Volta mais rápida: José-María López (2:01.628)

Corrida 2
1. Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)
2. Ma Qing Hua (Citroën C-Elysée WTCC)
3. Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)
4. Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
5. Mehdi Bennani (Citroën C-Elysée WTCC)
8. José María López (Citroën C-Elysée WTCC)
Volta mais rápida: Yvan Muller (2:02.450)

Campeonato Mundial
Pilotos:
1. José-María López: 475 pontos
2. Yvan Muller: 357 pts
3. Sébastien Loeb: 356 pts
4. Ma Qing Hua: 241 pts
5. Gabriele Tarquini: 197 pts
8. Mehdi Bennani: 127 pts

Fabricantes:
1. Citroën: 1.069 pontos
2. Honda: 721 pts
3. Lada: 376 pts